Crítica da Sociologia do Sujeito - Direito e Emancipação - Vol. II

Crítica da Sociologia do Sujeito - Direito e Emancipação - Vol. II - Falbo,Ricardo Nery | Nisrs.org Leia o livro diretamente no seu navegador. Baixe o livro em formato PDF, TXT, FB2 em seu smartphone. E muito mais em nisrs.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Falbo,Ricardo Nery
DIMENSÃO
10,83 MB
NOME DO ARQUIVO
Crítica da Sociologia do Sujeito - Direito e Emancipação - Vol. II.pdf
ISBN
1760589523868

DESCRIÇÃO

Crítica da Sociologia do Sujeito é o resultado de reflexão sócio filosófica sobre a sociologia dos movimentos sociais de Alain Touraine para pensar a categoria “produção social” como instrumento analítico de uso possível para compreender e explicar a atuação dos “movimentos sociais” no Brasil depois da promulgação da Constituição Federal de 1988. A “construção” do percurso teórico do sociólogo francês como objeto de investigação foi realizada com base em cinco “momentos” na trajetória de Alain Touraine. No primeiro momento, o sujeito é definido como sujeito histórico, isto é, como princípio de significação e produção da sociedade por ela mesma, sem determinação histórica ou social. No segundo momento, a categoria “sujeito histórico” como “forma abstrata” que explica a produção da sociedade de forma autônoma e endógena é consolidada com fundamento nas categorias “trabalho” e “movimento social”. No terceiro momento, o sujeito é definido pela distância que ele assume em relação à sua participação na produção da sociedade. O afastamento do sujeito histórico do “centro” da teoria da ação implica a retirada do sujeito individual da “periferia” da sociologia, e a centralidade agora é disputada pelo sujeito concreto, individual e coletivo. No penúltimo momento, é reconhecido lugar privilegiado para o sujeito individual, segundo a ideia do sujeito como criação de si mesmo, implicando menos participação e representação e mais condições de criação dos indivíduos e dos grupos de indivíduos. No último momento, “sujeito” e “indivíduo” deixam de existir como figuras abstratas, ou como expressão de substância comum, para terem existência concreta, como um “eu empírico”, orientado pelos chamados “direitos culturais”. A variação da semântica do sujeito na sociologia de Alain Touraine permite identificar a gramática do sujeito e os limites desta gramática para explicar os movimentos coletivos no “mundo de hoje”.

Crítica da Sociologia do Sujeito - Direito e Emancipação - Vol. II.

II. Falbo,Ricardo Nery Vendido por Saraiva R$ 65,00 ... cia e emancipação (II).

LIVROS RELACIONADOS