A Perspectiva do Quase

A Perspectiva do Quase - Gustavo,Zeh | Nisrs.org PDF, TXT, FB2. ePUB. MOBI. O livro foi escrito em 2021. Procure um livro sobre nisrs.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Gustavo,Zeh
DIMENSÃO
7,76 MB
NOME DO ARQUIVO
A Perspectiva do Quase.pdf
ISBN
7113744143655

DESCRIÇÃO

A Perspectiva do Quase (selo Arte Paubrasil) busca a afirmação de um lírico e de um lúdico que se encontram negados em uma concepção de sociedade que pressiona o indivíduo para a utilização total de seu tempo em tarefas produtivas e programadas objetivamente. Neste modelo, até o ócio, o riso, a dança estão sob controle do mercado, e a linguagem do espetáculo se impõe, hegemônica e (aparentemente) inconteste. A poesia, no entanto, se situa à margem: não está incorporada, ou seja, não consegue tomar parte no corpo desta “realidade”. O que parece nocivo traz no bojo uma solução, ou pelo menos uma possibilidade de rota: descomprometida perante aquilo que não a absorve, à poesia resta estabelecer-se como oposição à linguagem dominante.A poesia de Zeh Gustavo assume esta tarefa para si, apostando na categoria de “nada” como contraponto essencial ao “tudo” que o sistemão oferece, em suas prateleiras saturadas, para o consumo frenético, e vislumbrando na busca de um “ponto zero”, um “antes” inaugural, um “quase” perdido o elo para reencontrar um eu anulado pelo cotidiano e por relações humanas e sociais cada vez mais autômatas. A eleição deste mito poético primordial como prioridade transforma a poesia de Zeh Gustavo em um jogo de construção e desconstrução de palavras, sintaxes e temas. O eu poético zehgustaviano já nasce, portanto, proposto ao desacomodar das coisas.A originalidade d’A perspectiva do quase reside na consistência de geração de um novo mito poético, segundo o qual um eu protagonista de sua subjetividade – para lembrar as palavras de Mário Chamie no livro anterior de Zeh Gustavo, Idade do Zero – elabora uma autêntica elegia do não-acabado, do objeto e do ente em permanente construção imperfeita. Olhar para o “quase” pode constituir-se ainda como um desviar-se da submissão ao fetiche do produto e da mercadoria. É, em suma, voltar o olhar para algum ontológico fundador, primordial, anterior, ao passo que a publicidade alerta o tempo inteiro para um superficial de butique, de araque, de massa. O lirismo perspectivo do livro apresenta-se, pois, como um foco de resistência ante uma cultura urbana massificada e uma linguagem de mercado que diluem o eu e que partem da premissa da quantificação de tudo com vistas à formatação contínua de um ávido e onipresente supermercado global.Autor________________________________________________________________________Zeh Gustavo  Dados do produto________________________________________________________________________Número de páginas: 80ISBN: 9788599629079Formato: 14 X 21 cm, brochuraPeso: 130gEdição: 1ª

No sentido lato, se a perspectiva é "a ciência da representação dos objetos numa superfície, da forma como surgem ao olhar humano, vistos de uma certa distância", seria descabido não reconhecer que, neste contexto, a perspectiva já existia na antiguidade. [6]Na antiguidade egípcia, muito antes do surgimento dos processos de perspectiva com pontos de fuga, as pinturas e ... Em "A perspectiva do quase", Zeh Gustavo já antecipa um pouco do conteúdo do livro no próprio título.

O lirismo do perspeci...(A perspectiva do quase) Um quase-satélite, por vezes também chamado de quase-lua, é um objeto em uma ressonância orbital de 1:1 com seu planeta que permanece próximo ao seu planeta ao longo de vários períodos orbitais. A órbita de um quase-satélite em torno do Sol leva exatamente o mesmo tempo que os planetas, mas tem uma excentricidade diferente (geralmente maior), como mostrado no diagrama à direita. História.

LIVROS RELACIONADOS